Gravidez e a importância de uma alimentação adequada; por nutricionista Diana Jesoirens

 

O sonho de ser mãe virou realidade. Agora, nessa nova fase, são necessários vários cuidados fundamentais para uma gestação tranquila e com saúde.  Isso inclui uma alimentação adequada, pois exerce um papel determinante sobre os desfechos relacionados tanto com a mãe quanto ao bebê, implicando diretamente no seu perfeito desenvolvimento.

O consumo de alimentos saudáveis é regra prioritária na gravidez. Através de uma alimentação equilibrada e adequada é possível contribuir para a prevenção de problemas durante o parto e também no pós-parto, no aporte de nutrientes no período de amamentação, além de ajudar na manutenção de um peso adequado, sendo este um ponto muito importante, pois o excesso de peso pode ser um fator de risco para mãe e para a criança.

Alimentação saudável na gravidez -nutricionista Diana jesoriens

Portanto, para levar todo o período gestacional em paz com a balança e com a saúde, é necessário criar um plano alimentar saudável. As refeições devem conter todos os grupos alimentares, sem exceções.  Algumas dicas:

  1. Invista em vegetais (folhosos e legumes), carne bovina, frango, ovos e leguminosas (feijão, grão de bico, lentilha, ervilha, que contêm ferro, um nutriente que reduz os riscos de anemia e, por isso mesmo, não pode ficar ausente do cardápio das gestantes), cereais (arroz integral, batata, milho, entre outros), azeites (de preferência extra virgem), leite e derivados do leite (fora do horário do almoço e jantar) são excelentes fontes de proteína e também de cálcio, um mineral que contribui para a formação dos ossos e dentes do bebê, atenção apenas as intolerantes ou alérgicas.
  1. Feijões, ervilha e brócolis são fontes de ácido fólico, a vitamina do complexo B que previne a malformação do tubo neural, que afeta o cérebro e a medula espinhal da criança.
  1. Abuse dos pratos com atum, sardinha, salmão e arenque. Eles são ricos em ômega-3, gordura com propriedades que, entre outros benefícios, protege a saúde do bebê. Esse ácido graxo insaturado reduz a incidência de parto prematuro e melhora o peso da criança ao nascer, além de estimular a inteligência e a coordenação motora.
  1. As frutas são ricas em fibras, por isso ajudam a regular o trabalho do intestino e previnem a prisão de ventre durante a gravidez, não esquecendo também da ingestão adequada de água.
  1. As carnes deverão ser assadas, grelhadas, ensopadas ou cozidas, evitando as frituras. Recomenda-se não ingerir gordura vegetal hidrogenada, que pode comprometer o crescimento e o desenvolvimento fetal.
  1. As refeições devem ser distribuídas em seis vezes ao dia: desjejum, colação, almoço, lanche, jantar e ceia. Os intervalos em média são de três horas entre uma e outra refeição. Muito importante para não acontecer episódios de hipoglicemia.
  1. Evite qualquer tipo de adoçantes, pois é uma química sem nenhum benefício que vai para o seu bebê. Procure as bebidas que não necessitam adoçar, como sucos de abacaxi ou melão, caso já não seja acostumada a beber tudo sem açúcar.

***

Diana Jesoirens - nutricionista - BotafogoPor Diana Jesoirens: Nutricionista formada pela UFF, pós-graduada em Nutrição Funcional, Ortomolecular, Nutrigenômica e Pós-Graduanda em Nutrição Esportiva Funcional.

Onde encontrá-la:

Atendimento atual na Rua Teresa Guimarães, 20 ( Tel: (21) 3796-0130). Em breve na própria clínica, a Nutryfit, na Rua Paulo Barreto, 90. Ambos endereços em Botafogo, no Rio de Janeiro.

Comentários

Comentários

Confira também

Jejum Intermitente, Nutrição Funcional e Dieta Genética: Dr. Fábio Bicalho explica as três práticas para perda de peso com saúde

Uma das condutas que sempre indiquei aos meus pacientes que almejam emagrecer é a de ...