Laser como adjuvante no tratamento de melasmas resistentes; por Dra. Danielle Aguiar, da Clínica Paula Bellotti Leblon e TheSkin Barra

Caracterizado pelo surgimento de manchas escuras na pele, o Melasma é frequente em mulheres em idade fértil que moram em países tropicais, mas também pode ser observado em homens. Sua causa ainda não foi completamente elucidada, mas sabe-se que a radiação ultravioleta tem papel fundamental no seu desencadeamento, assim como a luz visível. A influência hormonal também é uma causa evidenciada pelo surgimento de melasma em gestantes, mulheres que fazem reposição hormonal e usuárias de pílulas anticoncepcionais, sendo a predisposição genética um fator importante.

O melasma não tem cura e permanece um desafio para os dermatologistas. Por isso, certos cuidados são indispensáveis e obrigatórios como o uso de filtro solar de amplo espectro. Os nutricosméticos e antioxidantes são bons aliados ao tratamento do melasma, principalmente no período do verão em que a exposição ocasional é inevitável. Estudos científicos vêm demonstrando benefícios no uso dessas substâncias tais como Luteína, Polypodium Leucotomos e Pycnogenol. É possível manipular e personalizar o receituário de acordo com cada paciente, ou buscar os produtos que já estão prontos nas farmácias comuns.

Laser-contra-melasma-Dra.-Danielle-Aguiar-Theskin-Barra-e-Leblon_2

O tratamento depende de diversos fatores. Estilo de vida, profissão, genética, cor da pele, hábitos pessoais, uso de medicamentos e tempo de evolução da mancha influenciam na escolha. Quanto mais recente, mais superficial costuma ser a mancha com melhor resposta aos tratamentos convencionais. Já as manchas mais antigas costumam ser profundas e resistentes. Os tratamentos de choque são realizados no consultório pelo especialista, como peelings e lasers e oferecem bons resultados. Os peelings clareiam a pele mais rapidamente do que os cremes de uso domiciliar. O número de sessões e o tipo de produto utilizado vão depender de cada caso.

Os lasers são indicados para casos mais resistentes, tais como pacientes que têm melasma há mais tempo sem melhora com os tratamentos convencionais. O profissional que for realizar o procedimento deverá ter experiência com tecnologias de energia luminosa, para não piorar o quadro, pois a fonte luminosa – se utilizada de forma inadequada- estimula o escurecimento da mancha.

O laser fracionado não ablativo foi aprovado pelo FDA para tratamento de manchas incluindo o melasma, com o mínimo de efeitos colaterais. O aparelho atua estimulando a produção e remodelamento de colágeno. Como efeito secundário observou-se o clareamento de manchas, pois quando a pele “cicatriza” de dentro para fora acaba eliminando pigmentos de diferentes camadas. Por isso funciona tanto para melasmas superficiais quanto profundos.

***

Dra-Danielle-Aguiar-TheSkin-LeblonPor Dra. Danielle Aguiar: Especialização em Dermatologia pelo Instituto de Dermatologia Prof. Rubem David Azulay – Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Possui título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e é membro-titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Onde encontrá-la!

Clinica do Grupo Paula Bellotti Leblon: Av. Afrânio de Melo Franco, 141/Conj. 312 – Melo Franco Medical Center – Leblon – RJ | Tels.: (21) 2274-9629 / 2274-9284. 
TheSkin Barra: Barra Prime Offices: Av. Afonso Arinos de Melo Franco, 222 / loja 122 A | Tel.: +55 21 2499-3634.

www.clinicatheskin.com.br

Instagram: @dradanielleaguiar

Comentários

Comentários

Confira também

Preenchimento Labial: Dra. Luciana Hitomi, da TheSkin Barra, explica

A boca mais cobiçada entre as celebridades, sem dúvidas,  é a da Angelina Jolie. Ela ...