MODULAÇÃO HORMONAL: método equilibra o nível de testosterona para melhorar a qualidade de vida; por Dra. Fernanda Silva, nutróloga, na Barra da Tijuca

Ao longo dos anos o corpo produz cada vez menos hormônios. E, ultimamente, um problema muito comum é a baixa testosterona, que tem um papel muito importante em nosso corpo. Isso porque, além de ser responsável por manter nossa massa magra, os níveis adequados deste hormônio são essenciais para melhorar a saúde e a qualidade de vida. E não pense que, por ser jovem ou por ser mulher, você está fora dessa, já que grande parte dos problemas não são causados pela idade, sexo, ou por condições pré-existentes, mas sim por péssimos hábitos que afetam drasticamente os níveis desta substância.

modulacao-hormonal-dra-fernanda-silva-barra-da-tijuca
Foto: Reprodução

Os principais sintomas de baixa testosterona são: cansaço excessivo, falta de energia para realizar tarefas cotidianas, desânimo, humor instável, depressão, baixo desejo sexual, ereções insatisfatórias (em homens), imunidade baixa, ganho de gordura incomum, perda de massa muscular e força. Assim, também temos a partir do climatério/menopausa, a diminuição dos estrógenos e da progesterona nas mulheres, causando os temíveis e incômodos fogachos (calores), queda da libido, depressão, dispareunia (dor durante a relação sexual), sobrepeso, síndrome do pânico, câncer, cardiopatias e diabetes.

A Modulação hormonal entra, justamente, para realizar a reposição com hormônios homólogos humanos (iguais aos produzidos pelo corpo), intervindo desta forma no desequilíbrio hormonal que ocorre ao passar dos anos. Assim, usando doses fisiológicas de hormônios, conseguimos agir de forma positiva no curso do envelhecimento, melhorando a qualidade de vida, prevenindo e tratando as comorbidades que surgem como consequências das quedas hormonais.

Primeiro, traçamos o perfil hormonal do paciente baseado em diversos exames laboratoriais, como de sangue, por exemplo. Além dos hormônios é possível utilizar diversos nutrientes, aminoácidos, antioxidantes e vitaminas para complementar os baixos níveis e atingir níveis compatíveis ao da fase da juventude plena. Aliado ao acompanhamento nutricional e exercícios físicos, a modulação pode ser feita pela vida toda. Procure seu médico e se informe.

***

Foto: Ana Colla
Foto: Ana Colla

Por Dra. Fernanda Silva (CRM 63188-4): Nutróloga formada em Medicina na Faculdade de Medicina de Valença, da Fundação Dom André Arcoverde (FAA), no Rio de Janeiro. Atualmente, cursa pós-graduação em Nutrologia na Universidade Veiga de Almeida. Dentre suas especializações estão: Curso Nacional de Nutrologia do Exercício; Aplicações da Nutrogenômica na Prática Clínica; Curso Ciências da Longevidade Humana e Fisiologia Hormonal Aplicada. Além disso, participou de eventos científicos importantes, como o XIX Congresso Brasileiro de Nutrologia, entre outros.

Shopping Downtown Av. das Américas, 500, bloco 6 – Sala 312-A. Barra da Tijuca Tels.: (21) 3577-7932 | (21) 9 8772-2513 WhatsApp: (24) 9 9912-1270 facebook: /familiapaleodaf Instagram: @drafernandasilvapaleo www.fernandasilva.med.br

Comentários

Comentários

Confira também

Dra. Annelise Marmore: dermatologia e pele saudável na Barra da Tijuca

A manutenção de uma pele saudável é a premissa do trabalho diário da dermatologista Annelise ...