Nutricionista Diana Jesoirens explica como os exames genéticos ajudam na perda de peso e vida saudável

Quem almeja ter uma melhor qualidade de vida precisa passar por uma alimentação saudável. Isso inclui dietas que, além de manter o peso, mantenha também a saúde. E na área de nutrição funcional, as pesquisas científicas são incansáveis para achar o melhor caminho para ajudar as pessoas a chegar a resultados mais eficazes na perda de peso e conquista de uma rotina alimentar adequada, personalizada e com saúde. Nesse sentido, destacam-se os exames genéticos que se comprometem a entender cada indivíduo e suas necessidades: o Bio Diet e o Bio Sport.

exames genéticos - bio diet e bio sport - nutricionista diana jesoirens

Entenda melhor cada um deles:

O Bio Diet é um exame de mapeamento genético que identifica como cada organismo metaboliza determinados alimentos e substâncias, e aponta as tendências genéticas para a obesidade e para o desenvolvimento de intolerâncias alimentares. Essas informações são fundamentais para atingir respostas mais rápidas e melhores para dietas e tratamentos. O corpo humano nos traz muitas respostas, saber utilizá-las é essencial para promover o bem-estar e prevenir o surgimento de intolerâncias e patologias.

A análise de predisposição monitora os seguintes pontos:

Obesidade: Analisa os genes responsáveis por influenciar o comportamento alimentar com alterações a regulação do apetite; Aumento do risco de sobrepeso; e Predisposição a um IMC alto.

Glúten: sua análise auxilia na conduta clinica adequada para diagnosticar ou excluir a doença celíaca em pacientes sintomáticos; além de verificar o risco genético de um indivíduo desenvolver a doença celíaca.

Folato: esse micronutriente desempenha um papel importante no metabolismo de proteínas, assim como na síntese e no reparo do DNA. A variação dos níveis de Folato podem representar um risco aumentado significativo para as seguintes condições clínicas: Defeitos no fechamento do tubo neural; Trombofilias; Pré-eclampsia; abortos de repetição; doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

Ômega 3: está ligado diretamente à proteção da saúde cardiovascular e cerebral. No exame, é possível identificar como o organismo assimila este ácido graxo que reflete diretamente na recomendação de dietas para controle de obesidade, diabetes e depressão.

Lactose: avalia quem tem maior ou menor possibilidade de serem intolerantes à lactose.

Cafeína: os genes que influenciam a metabolização da cafeína trazem informações que podem guiar o consumo e determinar sua presença na dieta.

Já no Bio Sport, analisa os marcadores genéticos associados a performance esportiva, que são uma importante ferramenta para a melhora do condicionamento físico e o delineamento de estratégias individualizadas para a saúde e boa forma. Através do Perfil Genético BioSport o profissional pode formular programas de treinamento específicos potencializando de maneira efetiva os resultados na prática esportiva, no condicionamento físico, na beleza e fitness.

Os principais tópicos abordados são:

Composição corporal: Existem marcadores genéticos associados à composição corporal. Através deles é possível conhecer por exemplo a composição das fibras musculares, acúmulo de gordura corporal, entre outros fatores essenciais de serem analisados para atingir a meta de condicionamento físico estabelecida pelo esportista.

Resistência e força física: Alguns indivíduos respondem melhor aos treinos de resistência e outros respondem melhor aos de força. Através da analise dessas variantes genéticas é possível entender melhor o funcionamento metabólico e planejar treinos individualizados e com resultados mais efetivos.

Capacidade aeróbica: O consumo máximo de oxigênio (VO2max) é amplamente utilizado como a melhor medida para a condição cardiorrespiratória individual. Qualquer um pode aumentar a capacidade de VO2max através de treinos de resistência, mas os níveis basais de VO2max podem variar de acordo com a idade, sexo, saúde atual e atividade física. Estudos que se iniciaram na década de 70 demonstram um alto componente genético, que varia de 52% a 95%, para o VO2max. Algumas variantes genéticas têm sido associadas com o VO2max de base.

Tendência à lesões: Dados epidemiológicos demonstram a existência de diferenças interindividuais na severidade e na frequência com que essas lesões ocorrem. Fatores ambientais e alterações genéticas possuem um importante papel na predisposição à ocorrência dessas lesões. Essas alterações podem ocorrer em regiões do genoma que codificam genes ou em regiões reguladoras e podem afetar a resposta individual a diversos fatores, inclusive à propensão a lesões e o tempo de recuperação. Variantes localizadas em genes relacionados à biologia dos músculos, tendões e ligamentos têm sido relacionadas com o aumento da gravidade e da predisposição à ocorrência de lesões.

Cafeína: Substância altamente consumida e que possui vertentes favoráveis e contra sua utilização em dietas. Os genes que influenciam a metabolização da cafeína trazem informações que podem guiar o consumo e determinar sua presença na dieta.

Capacidade de recuperação após o exercício: A capacidade de recuperação pós exercício é fundamental para a pratica de exercício com constância. A dificuldade de recuperação pode ser contornada por medidas preventivas e que evitem a não adesão a uma rotina de atividade física.

Níveis de lactato: O lactato é um dos melhores indicadores da evolução do treinamento. O Perfil BioSport analisa marcadores genéticos associados com a forma como o seus níveis de lactato respondem. Normalmente, a associação entre a genética e a melhora do limiar de lactato permite do delineamento de treinos específicos para indivíduos que não respondem bem aos treinamentos convencionais.

Comportamento: Um dos fatores de maior importância para o esporte são fatores relacionados à capacidade de lidar com o estresse e de se estimular diante da atividade física. Os marcadores genéticos são uma ferramenta interessante para o profissional delinear uma estratégia que identifique esses aspectos comportamentais permitindo o benefício máximo na realização do exercício.

***

Diana Jesoirens - nutricionista - Botafogo_2Por Diana Jesoirens: Nutricionista formada pela UFF, pós-graduada em Nutrição Funcional, Ortomolecular, Nutrigenômica e Pós-Graduanda em Nutrição Esportiva Funcional.

Onde encontrá-la:

Atendimento atual na Rua Teresa Guimarães, 20 ( Tel: (21) 3796-0130). Em breve, na própria clínica, a Nutryfit, na Rua Paulo Barreto, 90. Ambos endereços em Botafogo, no Rio de Janeiro.

Comentários

Comentários

Confira também

Como chegar ao peso ideal com a Nutrigenética – por Dr. Fábio Bicalho, nutricionista clínico, funcional e genético

Algumas pessoas conseguem manter o peso ideal a vida toda. Outras “lutam” diariamente contra a ...